sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Resenha: Cotoco - John Van de Ruit



“ Vou te falar uma coisa, Cotoco. Este lugar parece um hospício. Tem doido pra todo lado. Até nosso diretor é meio doido, você não acha? É como se em cada canto tivesse alguém para pegar a gente, para rir da gente, ou fazer a gente se sentir um idiota, um covarde, um sei lá o quê.”  p. 241 
O ano é de 1990, o lugar Africa do Sul, que no momento está passando pelo Apartheid com a volta de Mandela.
Mas não é de comunismo que o livro fala, pelo menos não profundamente, e sim de John Milton, que ganhou uma bolsa de estudos em um renomado internato para garotos, só que ele não sabia que essa mudança transformaria a vida dele por completo. E é nesta escola que ele é nomeado como Cotoco por seus novos amigos de quarto, que também tem apelidos nada peculiares como: Rambo, Cachorro Doido, Rain Man, Largatixa, Barril e Esponja. Juntos eles formam os Oito Loucos. 
John Milton – Vulgo Cotoco- sofre nos primeiros dias, pois como se já não bastasse a maluquice em sua família, tem de lidar com loucos por todos os lados, ou como ele mesmo diz: “Gente que bate pino.”.
Todavia, Cotoco tem suas qualidades, entre elas está uma voz apreciável por todos e sua paixão e abilidade no Críquete. Só que isso não é o suficiente para mantê-lo a salvo das “trapaceadas” de seus “companheiros”. Os Oito Loucos são um por todos e todos por um e isso inclui: Violar todas as regras possíveis. 
[...] “ Nesta escola, dedurar alguém é o mesmo que assinar a própria sentença de morte.” p. 88
O livro é narrado em primeira pessoa em forma de diário por Cotoco, contando assim a hora e o dia em que cada coisa acontece, mostrando como ele se sente a única pessoa com sanidade mental ao meio de tantos doidos ou até psicopatas (não estou exagerando, acredite!) 
Mas ele não tem problemas apenas com os garotos mas também com as garotas, mostrando assim o romance do livro, que é complicado, maluco e pra lá de engraçado. 
Os personagens são cativantes. Tem professor Guv de Inglês que lhe empresta livros  (sim, cotoco também é um amante da leitura) como Senhor dos Anéis. Tem também sua família, que é a mais esquisita de todos os tempos. Seu pai que está ficando maníaco (ou batendo pino) por causa do Apartheid e achando que os negros vão comandar a Africa do Sul. Tem sua mãe que é um tanto desmiolada e sua avó que tem mania de acusar todos de quererem rouba-la. 
[..] “Papai olhou bem no fundo nos meus olhos e aconselhou  que eu jamais fizesse a besteira de me casar; se isso não fosse possível, que pelo menos eu me casasse com uma órfã.”  p. 145
O livro é incrível, engraçado e com uma narrativa cativante. O personagem principal, pode parecer, mas pelo menos ao meu ver não foi o coitado da estória, na verdade não vi nenhum coitado e sim MALUCOS. 
O gratificante da trama para mim foi que, você vai percebendo o amadurecimento tanto do protagonista quando do restante e mesmo com tantas reviravoltas, pessoas indo para enfermarias, batendo pino, voltando ao normal, se metendo em enrascadas, tudo se resolve. Fora que, o autor se mostrou talentosíssimo nos proporcionando muitas risadas e emoções também que o final são surpreendentes e arrebatadoras.
Se recomendo o livro? É óbvio, nem sei porque demorei tanto para lê-lo e com certeza vou atrás das continuações que procurei e sei que existem, pena que ainda não foram lançadas aqui. Leiam e deem muitas risadas com Cotoco.

 Série Cotoco:
1. Cotoco – O diário perversamente engraçado de um garoto de 13 anos.
2. Spud - The Madness Continues 
3. Spud - Learning to Fly

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Resenha: O Trono de Fogo - Rick Riordan



“Éramos apenas crianças enfrentando magos, demônios, monstros, espirítos do mal e o eterno Lorde do Caos” p 82

Se vocês pensaram que a guerra estava sessada, estão completamente enganados. Vem muito mais por ai, e neste volume a luta contra o mal não é nada fácil!

Em O Trono de Fogo, somos surpreendidos com outro problema do qual Carter e Sadia tem de lidar: O pior inimigo deles, Apófis – a serpente do mal – que está se erguendo, e se eles não conseguirem impedi-la, ao mundo entrará em um caos total.

Até ai, se pensa que está normal, destruir o vilão da estória? É monótono. Só que para terem melhor chance de derrotar o Deus do mal, terão de despertar Rá, o Deus do sol. Mas para conseguirem despertá-lo terão de encontrar o Livro de Rá e decifrar seus encantamentos e também têm de encontrar o Deus, que está desaparecido à séculos, e pior, ninguém sabe onde o Deus pode estar.

“ A escolha certa quase nunca é escolha fácil, meu pai sempre me dizia. Papai desafiara toda a Casa da Vida. Sacrificara a própria vida para libertar os deuses, porque tinha certeza de que essa era a única maneira de salvar o mundo. Agora era minha vez de fazer a escolha difícil.”  p.71

Neste volume também conhecemos os aprendizes de Carter e Sadie, aqueles cujo sangue de faraó corre em suas veias. Agora os irmãos Kane são professores de magia, e os alunos são bem inusitados, e tem também outros personagens que terão grande importância no terceiro livro, o que é um mistério inquietante.

Se no primeiro livro você aprendeu bastante sobre a mitologia egípcia, neste livro não será diferente. Rick Riordan é um mestre na hora de passar o conhecimento das mitologias em suas estórias. Fora toda a trama, com novos deuses egípcios que aparecem, no final encontramos um glossário com todos os significados dos símbolos e nome dos deuses que aparecem na trama, é muito interessante, e de grande valia, tudo muito bem explicado.

Sem dúvidas que eu recomendo a leitura, e é com um pesar enorme que digo para lerem esta trilogia, porque pra mim poderiam ser mais, pois a trama vem me encantando.
Portanto, leiam, descubram mais sobre o mundo mágico dos faraós e se divirtam com as aventuras dos irmãos Kane!


Série - As Crônicas dos Kane:
1. A Pirâmide Vermelha (The Red Pyramid)
2. O Trono de Fogo (The Throne Of Fire)
3. Título indefinido.


segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Resenha: Ecos da Morte - Kimberly Derting



Quando as pessoas ou animais morrem, o que você acha? Que eles se vão completamente, ou que eles deixam suas marcas... ou melhor, seus ecos.

Violet sabe disso muito bem, pois ela tem o “dom” de sentir os ecos das mortes e doas assassinos , principalmente de mortes trágicas. Desde pequena Violet consegue sentir os ecos, eles podem ser desde cheiros até sons. No começo quando ela começou a seguir esses rastros foi encontrando animais mortos e então foi se acostumando, ela só não imaginava que as coisas ficariam mais sérias...

Na pequena cidade onde Violet mora tem ocorrido alguns desaparecimentos de belas jovens , até que o primeiro corpo é encontrado, a menina está morta, e o seu eco chama por Violet. Não só este como o de outras garotas que são mortas e assim Violet se sente como se eles clamassem por sua ajuda, e é então que ela não vê outra saída a não ser descobrir quem é este assassino que vem amedrontando a todos.

Mas é claro que Violet precisaria de uma ajuda, e é então que Jay – seu melhor amigo lindo e fofo-  entra com muito sacrifício nessa loucura toda para ajuda-la, até porque pior do que ver sua melhor amiga se envolver em algo tão perigoso seria deixa-la fazer isso sozinha.

Violet Não iria mais aguardar que outra pessoa encontrasse o psicopata que estava matando garotas. Faria alguma coisa, mesmo que, para conseguir, tivesse de agir na surdina.  p. 96

Jay é O melhor amigo, engraçado, carinhoso, inteligente... Só que em um ano ele teve uma mudança surpreendente não só para Violet mas para todas as meninas do colégio que estão agora se jogando em cima dele praticamente e Violet não está gostando muito disso, está com ciúme... E é então que ela se vê com outra bomba para resolver, como ela pode estar se apaixonando pelo seu melhor amigo, logo Jay, o garoto que cresceu junto com ela!

Eu gostei do livro, principalmente porque a narrativa é alternada por Violet e pelo assassino, o que dá uma tenção a mais para a trama. Violet se mostrou uma personagem forte, não desistindo de sua procura.  Achei todo esse invento de ecos bem genial, uma coisa diferente, sobrenatural mas inusitado até, nada de lobos, bruxas... O romance do livro é fofo, enquanto as partes dos assassinatos são agoniantes.

[...] Era como urinar no próprio quintal. Doentio e errado. E ele gostava.  p. 84

Só uma coisa negativa foi a capa do livro, que por sinal é linda mas o material que a deixa com um aspecto mais áspero (tipo uma película que cobre o desenho) descascou, não sei se foi o calor da minha mão ou de ter deixado ele na bolsa, mas achei estranho porque eu sempre cuido muito bem de meus livros, odeio quando eles sofrem qualquer dano, e isso foi desagradável para mim, confesso.

Fora isso recomendo o livro, de fácil leitura e para quem quer uma trama policial com um pouco de sobrenatural é uma boa pedida!

Série The Body Finder:
1. Ecos da Morte ( The Body Finder)
2. Desires Of The Dead * (ainda não lançados aqui)
3. The Last Echo *

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Nacionalizando #8

Primeiramente, acho que devo desculpas por ter atrasado tanto com a coluna, mas é que ultimamente ando muito ocupada com o trabalho e final de ano vocês sabem né? Muuita correria.
Então andei pensando melhor e resolvi que o Nacionalizando vai ser a cada quinze dias, pois consigo me organizar melhor, fora que ando planejando várias coisas legais para o blog, principalmente mudar o layout, hehe!
Mas enfim, vamos a indicação de hoje, que é um lançamento.

Título: Dividindo Mel
Autora: Iris Figueiredo
Lançamento: 2011

Editora: Draco
Gênero: Chick-Lit / Juvenil
ISBN: 978-85-62942-41-9 
Paginas: 200
Compre: Cultura Travessa 




Sinopse: Todo mundo sabe o que é se apaixonar: o frio na barriga, os abraços, os beijos e os sorrisos. Só que ninguém gosta quando o relacionamento dá errado e termina de uma hora para a outra, sem explicações. Melissa sabemuito bem disso. Afinal, ela nem chegou a duas décadas de vida e possuiuma lista de ex-namorados (e alguns ex-qualquer-coisa-indefinida) maior do que gostaria. Mel prometeu para Rebeca, sua melhor amiga, que agora iria focar em seufuturo e deixar os relacionamentos para depois, pois tendiam a terminar mais rápido do que começavam. O que ela não esperava era conhecer, por acaso, um cara maravilhoso que parecia o Príncipe Encantado com quem tanto sonhou. E, menos ainda, que seu melhor amigo voltaria para a cidade trazendo consigo um monte de lembranças e acontecimentos especiais. E agora, como ficará o já cansado coração da dividida Mel? 


Autora: IRIS FIGUEIREDO nasceu na primavera de 1992. É hiperativa, sonhadora, bebedora compulsiva de café e apaixonada por picolé de amendoim. Trabalha com livros e estuda Produção Editorial na ECO/UFRJ. Cismou que gostaria de ser escritora e escreveu "Dividindo Mel", com lançamento previsto para dezembro de 2011.

A autora tem um blog literário também e seu site exclusivo.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Resenha: Ratos - Gordon Reece



“ Fitando o céu, eu gostava de imaginar que vivia em uma época mais simples e inocente – de preferência antes de surgirem os seres humanos, quando a Terra era um vasto paraíso verde e quando a crueldade de ferir apenas por puro prazer era completamente desconhecida.”  p. 14

Primeiro vou perguntar. Estão preparados para uma leitura com cenas fortes e sem piedade? Se sim, este livro é para você, caso contrário...

Shelley e sua mãe têm uma relação ótima, na verdade elas são mais que mãe e filhas, são melhores amigas, são tudo uma pra outra. Depois de seus pais se separarem, Shelley ficou com sua mãe e logo se mudaram para o Chalá Madressilva, um lugar isolado de vizinhos... perfeito para elas.

Por mais que se sentissem bem em sua nova casa, não imaginariam o que estava por vir. Shelley começa a sofrer nas mãos de suas ex-melhores amigas, e isso começa com apenas alguns xingamentos e depois alguns puxões de cabelos... até que tudo se agrava e partem para a agressão física com ela, passando dos limites e  deixando cicatrizes que vão demorar para se esvaírem.  O bullying marcou muito Shelley, então ela se recusa ir a escola e agora tem suas aulas em casa.

Shelley em momento algum contou algo para alguém, ai se pode pensar que ela foi idiota ou até mesmo medrosa, mas as coisas não são bem assim. Ela e sua mãe foram sempre impotentes à tudo que as atacasse, vendo bem, percebe-se que Shelley é assim por sua mãe tê-la protegido como um vazo de vidro. Então é ai que Shelley fala que ela e sua mãe são ratos, pois estão sempre se escondendo, fugindo... nunca se impondo.

Pensando que comemorariam os 16 anos de Shelley, elas aproveitam a noite juntas planejando cada detalhe para o dia seguinte, só o que não imaginariam que esta data nunca seria esquecida realmente, mas o motivo não era o qual estavam planejando.

Na madrugada de seu aniversário, um ladrão entra na casa delas, e as prende como reféns. Elas não conseguem acreditar em tal coisa, e tentam manter a calma, mas é difícil, o ladrão é louco, e o pânico cresce a cada momento. Entretanto, elas são duas e ele está sozinha, será que não teriam chance de se safar? Será que vão ser ratos para sempre? Ou será que até os ratos tem seus limites? Será que vão sempre ter medo dos gatos, ou se eles entrarem em suas tocas podem se dar mal?

“ A realidade era um massacre diário de inocentes. Era um abatedouro, um açougue, forrado pelos corpos de inúmeros ratos...”  p. 68

Este é um thriller psicológico que me surpreendeu, não esperava tais acontecimentos e simplesmente adorei. Fiquei impressionada por este ser o primeiro romance do autor, pois a narrativa foi muito bem construída, tais pensamentos formados por mãe e filha foram perfeitos e o tema nada fácil ou até mesmo incomum, com cenas fortes e marcantes.
O livro me chochou, deixou um impacto após a leitura e eu recomendo com certeza!!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Novidades na Minha Estante #5 - Júlia


Oi gente , então , aqui em casa o Papai Noel chegou mais cedo *-* rsrsrs e trouxe presentinhos lindos...
Primeiro , Trono de Fogo do Rick Riordan , é o segundo livro da série As crônicas dos Kane , o primeiro livro da série é Pirâmide Vermelha ( leia a resenha aqui ) super recomendo.
O segundo livro é Filhos do Éden - Herdeiros de Atlântida do Eduardo Spohr , é o primeiro livro da nova série dele , ele já tem um outro livro também ( que está entre meus livros favoritos) que é o A Batalha do Apocalipse.
Agora os dois últimos são Martin - A Guerra dos Tronos e Martin -  A Fúria dos Reis do George R.R , eu estou simplesmente doida para ler essa série , os livros são muito grandes rsrsrs e a historia parece ser muito boa.Os livros já até viraram série de tv , com a primeira temporada já lançada no Brasil :)


Bom é isso galera , espero que vocês ganhem muitos presentes (e muitos livros rsrs). Desejo um Feliz Natal a todos e um maravilhoso Ano Novo também!! 

domingo, 18 de dezembro de 2011

Resenha: Fallen - Lauren Kate


[...] Seus olhares se encontraram, e Luce viu quando os olhos dele se arregalaram e depois rapidamente se estreitam com o que parecia ser surpresa. Mas não, era mais do que isso. Quando os olhos de Daniel encontraram os seus, Luce prendeu a respiração. Ela o reconhecia de algum lugar.
O livro conta a historia de Luce, uma menina, aparentemente “problematica” que, depois que a cabana que estava com o seu namorado pega fogo, sendo a única sobrevivente e pondo a culpa nas supostas “sombras” pelo acidente é manda para um reformatório. Lá Luce conhece vários outros adolescentes problemáticos, sendo um deles Daniel – que parece estranhamente familiar, misterioso e reservado, mas ele não está nem ai para ela, e não se inibe em deixar isso bem claro. E também Cam que é um típico bad-boy apaixonante (apaixonante mesmo, gostei muito mais dele do que de Daniel).
Para ser sincera esse não foi um dos meus livros preferidos de ler, fiquei confusa no começo por ter varias historia envolvidas, achei o lance da cabana ter pegado fogo muito mal explicado e também são muitos personagens –alguns bem desenvolvidos, outros, nem tanto – .
Mas enfim o que eu gostei no livro é que tem muito mistério (o que eu amo) que acaba fazendo você ter duvidas de quem é o mocinho e quem é o vilão.
E o final te deixa com um gostinho de quero mais (muito mais rsrs).
Por mais que esse não tenha sido meu livro favorito, com certeza é minha capa preferida , sério, a capa é linda adorei...E não sei se todas as edições são assim, mais a minha capa tem um efeito de aveludado quando passa a mão nela , apaixonei rsrsrs. E também (como vem escrito na contra capa) em breve Fallen chega nas telinhas pelo o estúdio de cinema da Disney.
[...] As sombras se infiltravam pelo teto do auditório, escorregavam pelas laterais do telão e finalmente traçavam os contornos das tábuas do piso como tinta derramada. Luce agarrou o assento da cadeira e sentiu o medo penetrando por suas pernas e braços.


Série Fallen:
1. Fallen
2. Tormenta (Torment)
3. Paixão (Passion)
4. Rapture (ainda não lançado)

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Resenha: Amante Liberto - J.R. Ward

[...]  A aterrissagem fez com que V. saltasse do banco do motorista, batendo a cabeça no teto do carro, sendo jogado para frente. Air bags explodiram no volante, no painel e nas portas enquanto o veículo passava por galhos, árvores e...
                             Pág.484
Sou suspeita para fala dos livros da Irmandade da Adaga Negra, pois é umas das minhas séries preferidas. Mas esse livro em especial, é meio complicado de falar, porque primeiro conta a historia do meu personagem preferido e segundo porque praticamente todo mundo odiou e criticou esse livro.
Amante Liberto - quinto livro da série - conta a história de Vishous, um dos guerreiros mais frios da Irmandade, ele pode prever o futuro, consegue queimar prédios inteiros apenas com sua mão e sua inteligência é invejada e apreciada por todos, mesmo com tudo isso ele não se livrará de um terrível e cruel destino.
“ V. piscou algumas vezes, aterrorizado com o que estava prestes a dizer.
-Cara, você vai virar santo sabia? Sempre esteve do meu lado. Sempre. Mesmo quando eu...
-Mesmo quando você o quê?
-Você sabe.
-O quê?
-Droga. Mesmo quando eu estava apaixonado por você, ou algo assim.”
                            Pág.383
O livro tem flashbacks iguais ao de Amante Desperto, que mostra o passado de V. podendo assim fazer você saber por tudo que ele passou, mas já vou avisando o passado dele, na minha opinião, é bem pior que o do Z.
 O livro trás bastantes explicações sobre nosso querido Vishous e também muitas revelações, uma delas, que para mim foi a mais bombástica é de quem é sua mãe.
Adorei as aparições do Butch nesse livro, as tiradas dele são as melhores e rende bastante risadas. Jane, de todas as “fêmeas” é a mais geniosa e corajosa, ela não abaixar a cabeça para os guerreiros e sim os enfrenta. Como ouvi muitos dizerem, ela é uma versão feminina do Butch, o que eu tenho que concordar. O que me chamou atenção nesse livro também é que não tem narração dos Redutores, pois a história do V. é tão profunda que a aparição dos redutores é mínima, mas também quando aparecem fazem o maior estrago. Outra questão que é bastante explicada nesse livro é a “paixonite” do V. pelo Butch.
Agora vou dar minha opinião sobre um ponto especifico nesse livro, o final. Porque antes de ter o livro em mãos eu fiz uma pesquisa, dei uma lidas nas resenhas e cheguei a conclusão de que a maioria das pessoas que leu odiou o final do livro. Vou confessar que quando fiquei sabendo o que acontecia no final por meio de spoilers, eu chinguei a J.R Ward de todos os nomes possíveis,rsrs, porque ela tinha que fazer isso logo com meu guerreiro preferido?
 Mas depois que eu li o livro, percebi que o final foi certo, eu não sei explicar o porque, mais foi o final certo. Acabou que o V. ficando com quem queria, não do jeito que queria, mas ficou e eu achei uma frase no livro –não vou por ela inteira se não lança spoilers - que explica bem isso.
“Mas quem se importava? Eles tinham um ao outro.”
                             Pág.518    
P.S.: Prestem bastante atenção nos novos personagens do livro , porque algum deles serão bastante importantes para os próximos livros =X .


Série A Irmandade da Adaga Negra:
1) Amante Sombrio
2) Amante Eterno
3) Amante Desperto
4) Amante Revelado
5) Amante Liberto
6) Amante Consagrado
7) Amante Vingado
8) Amante Meu  
9) Lover Unleashed 
(ainda não lançados no Brasil)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Resenha: A Pirâmide Vermelha - Rick Riordan



Mais uma vez Rick vem com suas estórias para nos fazer viajar e ao mesmo tempo aprender sobre história. E dessa vez ele nos faz viajar no mundo dos deuses egípcios (o que eu particularmente adoro!).

"- Os gregos me chamavam de Tot. Mais tarde, eles me confundiram com o deus deles Hermes. Tiveram até a ousadia de mudar o nome de minha cidade sagrada para Hermópolis, embora não fôssemos nada parecidos. Se conhecesse Hermes..."     p. 254

O livro é narrado pelos irmãos Kane, Sadie e Carter, muitos podem não gostar dessa intercalação, mas achei genial, poder saber o ponto de visto e entrar nos pensamentos de ambos.
Sadie e Carter foram criados separados, depois da morte da mãe, Carter ficou com o pai viajando o mundo e Sadie ficou morando com os avós em Londres. Os irmãos só podem ser ver duas vezes ao ano e é em uma dessas datas que tudo começa.

Julius, pai deles, decide leva-los ao British Museum. No início pensavam que o pai queria apenas fazer um passeio, mas é então que se enganam. Na verdade Julius foi atrás de um artefato egípcio , a Pedra de Roseta, só que algo da errado e tudo explode, tanto a pedra quanto a sala do museu. E com isso vários deuses egípcios são liberados, só que um deles captura Julius.
Com o pai desaparecido e capturado por um Deus, Sadie e Carter começam suas aventuras ao redor do mundo e explorando a história do Egito e suas magias.


Mas calma, não pense que eles são normais, ambos carregam sangue de faraó nas veias. Carter tem  hospedado em si o Deus Hórus e Sadie a Deusa Ísis, e é com o poder dos Deuses que tudo pode ficar mais fácil ou mais difícil.

"- Bem, parece divertido – opinou Sadie. – E se não passarmos nessas provas?Zia olhou para ela com frieza.- Não estamos falando de provas nas quais você pode ser reprovada, Sadie. É passar ou morrer."  p. 152

Eu me perdi na trama, viajei completamente pelo mundo dos deuses egípcios. Confesso que amo a mitologia grega mas Rick sabe nos entreter muito bem e agora tenho mais uma série ótima para ficar roendo as unhas enquanto não sai a continuação.
A narrativa é ótima, Carter com seu jeito nerd e Sadie com seu jeito sarcástico me cativaram!

Série - As Crônicas dos Kane:
1. A Pirâmide Vermelha (The Red Pyramid)
2. O Trono de Fogo (The Throne Of Fire)
3. Título indefinido.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Resenha: Amante Revelado - J.R.Ward



Neste quarto volume da série vamos conhecer mais sobre  Butch O’Neal, um mero humano, que conseguiu seu lugar na Irmandade.

Butch é um tira durão, desde o começo nunca se deteve pelos perigos que a irmandade poderia lhe proporcionar, até porque passou a ter uma boa relação com os guerreiros, principalmente com Vishous.

Só que para Butch isso não bastava, queria ser de mais serventia do que escoltar fêmeas ou fazer coisas sem perigo iminente. Com isso ele vai se embreagando sempre e não tem duvida de agora ter virado um acoolatra, mas nada disso importa, sua vida está um caco, além de não ser mais um policial, de não poder ajudar, ele deseja Marissa, mas por ser um humano a Glymera não aceita tal junção o que aumenta ainda mais sua infelicidade.

[...] Sem sua parceira com quem dividir a vida, ele era apenas uma tela para os acontecimentos e circunstâncias. Ele não estava vazio, pois não era um recipiente nem mesmo para o ar. Ele vivia sem estar realmente vivo. p. 481
Mas eis que a mudança vem à Butch. Em uma noite nos becos de Caldwell ele vê um vampiro sendo atacado por redutores e resolve ajuda-lo, e é então que é capturado e levado a Ômega.  Este nunca entendeu como e porque  a Irmandade mantém o humano, e como não era de proveito dele mata-lo, ele instala em Butch uma certa “maldição”, querendo assim  desestabilizar os vampiros da Irmandade.

Depois Butch é encontrado abandonado em uma estrada e levado a irmandade, que mesmo sabendo que esteja infectado por Ômega, não deixam de cuidar dele. Mas ele está fraco e sem motivações e é então que os irmãos recorrem a única razão que pode fazê-lo querer a vida...Marissa.

Agora os dois estão mais próximos do que já estiveram, sendo assim impossível conter o desejo de ambos.  Não conseguem mais esconder o amor que sentem.
Só que mesmo feliz com sua fêmea Butch não esta a salvo por inteiro, a escuridão de Ômega se apossa dela cada vez mais, sendo impossível pará-la.

O livro foi de uma leitura incontrolável para mim, eu sempre gostei de Butch, desde o primeiro livro, ele é durão, engraçado e não esconde sentimentos. O romance é lindo, mas como Marissa é bem ingênua alguns podem criar uma antipatia com a personagem, mas o crescimento dela ao decorrer da trama é gratificante.
Recomendo a leitura, pois a série e a autora estão na minha lista de favoritos!!

Série A Irmandade da Adaga Negra:
1) Amante Sombrio
2) Amante Eterno
3) Amante Desperto
4) Amante Revelado
5) Amante Liberto
6) Amante Consagrado
7) Amante Vingado
8) Lover Mine  ( ainda não lançados no Brasil )
9) Lover Unleashed

domingo, 4 de dezembro de 2011

Resenha: Bela Maldade - Rebecca James



[...] Há perigo em toda parte, seus idiotas! Vocês pensam que estão seguros, pensam que as pessoas são confiáveis? Que são boas? Abram os olhos e olhem em volta! [...]  p. 48


Depois de acontecer uma tragédia em sua família, Katherine, para tentar esquecer seu passado sombrio se muda para casa da sua tia, Vivian.
Katherine se encontra isolada, como queria, só que isso não dura muito. Em sua nova escola, conhece Alice, que se apresenta com toda a animação e a chama para sair, e Katherine aceita, pois é impossível dizer não à Alice.

Alice é a típica menina popular, todos a olham onde quer que passe, adora ser o centro das atenções e não esconde isso.  Ela tem um “namorado” Rob, que passa a conhecer Katherine e assim se forma uma grande amizade entre os três.
Agora Katherine se sente feliz como nunca se sentiu desde que coisas terríveis aconteceram quando tinha 15 anos.

Mas nem tudo era como Katherine pensava, afinal o que esperar de uma amizade tão repentina? No inicio ela pensava que toda a aproximação de Alice fosse apenas por se deram bem, mas depois vê que isso se torna uma obsessão. E quando Alice começa a se revelar realmente, começa a trazer à tona o passado de Katherine, fazendo coisas maldosas, Katherine decide dar um fim na “amizade”. Só que Alice não aceita ser deixada de lado, não aceitar ser excluída não aceita um não. Desde então passa a persegui-la não deixando-a em paz.

Eu gostei muito do livro, os personagens foram muito bem construídos. Alice não tem escrúpulos, até eu só de ler fiquei com vergonha dela, Katherine não é boba, mas achei que demorou um pouco para se dar conta, Rob é fofo mas também é um idiota por deixar ser manipulado por Alice.

A narrativa é divida em três partes, contando a estória de Katherine Adulta com 20 e poucos anos, com 17 anos quando conhece Alice e com 15 anos quando acontece a tragédia que sofre. De fora pode-se pensar ser complicada a divisão, mas não é, também pensei a principio mas depois me adaptei e acabei gostando. No fato de prever os acontecimentos não foi tão difícil, mas nada previsível de cara. Recomendo a leitura, e não se deixem enganar pela beleza, ela pode ser mortal!!

Deixo aqui algumas críticas do livro:


The Wall Street Journal 
"Um thriller psicológico e sexy, brilhantemente construído."


The Independent 
"Essa trama sobre rivalidade leva a crueldade a novos limites."

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Nacionalizando #7

Título: Nêmesis - O Retorno de Astarot
Autor: Diogo de Souza
Lançamento: 2011

Editora: Dracaena
Gênero: Ficção/Romance
ISBN:  9788564469242
Paginas: 361
Compre: Saraiva  Cultura



Sinopse: Há cento e quarenta anos, Astarot, uma dos maiores demônios já conjurados, dorme, aprisionado pelas magias da família Masters. Mas uma profecia determinou seu despertar, e agora, a família de magos mais poderosa, e influente, do mundo, se vê face à face com a volta de sua Nêmesis. Isabela Zuckermann, jovem ginasta, foi apontada como aquela quem trará o despertar do demônio. Agora, aqueles que seguem Astarot tentam protegê-la, e aqueles que pretendem impedir a profecia querem sua morte. A jornada de Isabela está entremeada com o segredo da prisão de Astarot em 1875, e conforme ela descobre a verdade sobre a magia, sua família e sobre si mesma, mais fica claro que não poderá impedir “

Perfil do Autor: Nascido em São Paulo, Diogo de Souza começou escrevendo peças para teatro e diversos artigos para revistas. Em 2005, estimulado por um amigo, deu forma à história de Fuga de Rigel, que o perseguia incansavelmente há vários anos. Ávido jogador de RPG, também fez breve carreira como ator e diretor de teatro, dos quais nunca perdeu o gosto. Hoje, trabalha como consultor em engenharia de sofware. Em seu primeiro romance, Diogo nos transporta para o mundo dos poderes paranormais e fundações secretas. Através de Rigel, acompanhamos a saga de um jovem telecinético em busca dos laços que o definem, da família que nunca conheceu, e da redescoberta de seus próprios valores.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Resenha: Liberte meu Coração - Meg Cabot



“Que tipo de mundo era este onde estava? Quando, em nome de Deus, donzelas tinham começado a usar calças de couro, a capturar homens adultos e prendê-los para pedir um resgate?” p. 56

Na Inglaterra, 1291, as senhoritas conversam sobre fitas, tecidos, maridos, crianças... Mas não Finnula, uma jovem  que ousa usar calças de couro justas ao invés de belas saias e sai à caça pela floresta, mas por um bom motivo: dar o que comer ao pobres, tirar dos ricos o que têm em abundância e ajudar quem precisa, sendo assim uma jovem bem audaciosa.

Só que Finnula nunca pensou que sua audácia passaria de caçar animais em florestas, até que se vê em uma situação um tanto crítica; Sua irmã Mellana gastou todo seu dote em vestidos e laços e agora precisa de dinheiro para ter um dote, e o jeito mais rápido seria sequestrando um cavaleiro e pedir seu resgate.

Como Finnula ama sua irmã, não poderia deixar de ajudar, até porque deu sua palavra, mas o que ela não imaginava era que sequestraria um homem do qual lhe seria tão atraente.

Hugo Fitzstephen está voltando das Cruzadas, com muitas jóias, e isso atrai a atenção de Finnula, que pensa ser a oportunidade certa e um bom resgate. Ela consegue sequestra-lo como calculou, só o que não imaginava era que o homem gostasse de ser seu prisioneiro, sendo assim difícil não só controlar este homem demasiado atraente e um tanto presunçoso, mas também conter-se para não mata-lo ou até mesmo não resistir por seu charme.

“Não podia sequestrar alguém tão perigosamente bonito. Não, um sequestro desse tipo pode trazer todo tipo de complicações. Na verdade, já tinha trazido.”  p. 164

O livro me encantou, adorei a narrativa, os personagens, todo o contexto me agradou realmente. Adoro o tema “romance histórico”, e estava curiosa para saber como Meg Cabot faria tal estória e o resultado me agradou. Claro que, não é o melhor romance histórica que já li, mas entra na lista dos que gosto, até porque senti um pouco de falta da linguagem um pouco mais formal da época, mas isso não se torna um problema pois a narrativa cheia de humor de Meg me cativou como sempre. Uma boa pedida para estas férias, dar uma relaxada e grandes suspiros com este romance nada fofo mas muito cativante.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Nacionalizando #6



Título: Os Sete
Autor: André Vianco
Lançamento: 2003

Editora: Novo Século
Gênero: Ficção/Vampiro 
ISBN: 9788587791054
Paginas: 380
Compre: Saraiva  



Sinopse: Uma caravela lusitana de cinco séculos é resgatada de um naufrágio na costa brasileira. Dentro dela, uma caixa de prata misteriosa oculta um segredo: sete cadáveres capturados, acusados de bruxaria. Apesar das advertências grafadas no objeto de prata, a equipe do departamento de história da Universidade Soares de Porto Alegre decide violar a caixa para estudar os cadáveres. Afinal, que perigo poderiam oferecer aqueles sete cadáveres? Nenhum. Mas depois que o primeiro deles desperta tudo pode acontecer...Do mesmo autor de "O senhor da chuva", André Vianco transporta o leitor para um mundo antigo, onde os verdadeiros assassinos carregam presas afiadas e têm medo do sol.







Perfil do Autor: André Vianco, consagrado autor brasileiro que explora o gênero sobrenatural (vampiros, anjos e batalhas entre o bem e o mal), continua investindo em ficção e fantasia. O escritor, quando compõe seus livros, busca sempre se divertir e, ao mesmo tempo, enredar os leitores de tal maneira que os deixa cativos até a última página. André Vianco edita seus livros pela Editora Novo Século desde 2001, e esta trajetória, ainda que breve, já ultrapassa o marco de 100 mil exemplares vendidos. O número de leitores fiéis e admiradores não param de crescer, o que comprova que a literatura ficcional tem conseguido um espaço cada vez maior no interesse do público nacional. Suas obras já foram resenhadas pela revista IstoÉ, o jornal O Globo e também já foi destaque no Programa do Jô, programa Almanaque, do Globo News e Charme, de Adriane Galisteu. Vianco vive em Osasco, São Paulo, é casado e tem 3 filhas.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Resenha: Cidade de Vidro - Cassandra Clare


"Enquanto me lembrar de como era amar você, sempre vou me sentir como se estivesse vivo."  p 331

Nos livros anteriores, Valentim, o maior inimigo da Clave, conseguiu roubar dois dos instrumentos mortais e ainda matar muitos caçadores de sombras.

Em Cidade de Vidro, sua pretensão é o terceiro instrumento, para assim obter total controle da Clave. Será que ele conseguirá?

Todos os caçadores de sombras agora estão em Idris – cidade de origem deles- para bolarem um plano para combater Valentim e seus demônios, mas o único jeito de terem sucesso é se juntando com os membros do submundo – vampiros, fadas e lobos – , só que a Clave não os suporta, e acha que podem combater Valentim sozinhos...

Clary está com muitos problemas, sua mãe Jocelyn, está ainda em coma, e ela acaba de descobrir que há um feiticeiro em Idris que pode ajuda-la , mas para atrapalhar tudo, seu irmão Jace, não a quer lá, mesmo ela sendo uma caçadora de sombras, ele fala que ela não está preparada para uma guerra, querendo assim protege-la das atrocidades de seu pai.
Clary neste livro mostra mais seus poderes, nos impressionando a cada página, e não só com sua estela mas também com toda sua atitude!

Em Cidade de Vidro senti que os personagens estão mais adultos, eles amadureceram e querem a todo custo vingança. Há também maior ponto de vista vindo de outros personagens, como Simon, que ainda não se adaptou muito bem com seu vampirismo e é visto como uma aberração por poder sair no sol, o que vai lhe causar sérios problemas...

"- A pergunta para você, é claro – prosseguiu Aldertree -, é se sabe por que é assim. 
- Talvez eu seja mais simpático que os outros vampiros."  p. 101

Para mim este livro foi o melhor até agora, com mais ação, nada de piedade nas descrições das lutas e mortes marcantes. Tudo se desenvolve muito bem e há reviravoltas e surpresas inesperadas, as coisas acabam se alinhando, mas o final não deixa de ser um tanto misterioso, o que só faz o livro ficar melhor ainda. A narrativa de Cassandra Clare é ótima, a leitura flui e bem na hora que está naquela parte crítica em que estamos loucos para deduzir o que acontece, a cena muda e  isso me fez ler o livro vorazmente para descobrir tudo o mais rápido possível.

Se você ainda não leu Cidade dos Ossos ou Cidade das Cinzas, vá ler AGORA, esta é uma série ótima, surpreendente com uma trama muito bem desenvolvida. Leia e se delicie!!

"- Eu tinha que tentar. E tentei – A voz dele estava sem vida. – Mas Deus sabe, não quero ninguém além de você. Sequer quero querer alguém além de você."   p. 192

Série Instrumentos Mortais:
1. Cidade dos Ossos (City of Bones)
2. Cidade das Cinzas (City of Ashes)
3. Cidade de Vidro ( City of Glass)
4. City of Fallen Angels * (ainda não lançados no Brasil)
5. City of Lost Souls 

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Resenha: Cilada - Harlan Coben

Para quem conhece os livros da Harlan, já sabem, é mistério do começo ao fim e Cilada não poderia ser diferente.
Cilada é daqueles livros que a cada pagina virada é um novo mistério, um novo segredo... Daqueles livros que quando você está lendo, vai te dando uma agonia para chegar logo no final, que você não consegue parar de ler nem para beber água rsrsr.
" - Então você acha que Haley fugiu?
Pete Zecher ainda olhava para a fotografia tirada na Disney. Também parecia focar no sorriso de Haley. Quando enfim se virou, Marcia viu lágrimas nos olhos deles.
- Não, Marcia, não acho que sua filha tenha fugido. Acho que alguma coisa aconteceu a ela.Algo muito ruim."
                                 pág.44
Haley Mcwaind, é uma aluna exemplar, disciplinada, ama esportes e sonha em entrar para uma boa faculdade. Só que certa noite ela não volta para casa e três meses se passam de seu desaparecimento, fazendo com que todos já pensem o pior.
Dan Mercer é um assistente social, que tem o objetivo de só fazer o bem para as crianças, e que da noite para o dia se vê dentro de uma cilada, e todos as sua volta o acusam de pedofilia. Até ser brutalmente assassinado.
Wendy Tynes é a repórter que armou a cilada para Dan, e que se tornou a única testemunha de seu assassinato. Wendy é decisiva, só que ao entrar fundo na historia, percebe que talvez tenha cometido um erro, e que Dan pode não ser o verdadeiro criminoso.
" Ele balançou a cabeça e abriu um sorriso.
- O que foi? - perguntou ela
- Você caça pedófilos há dois anos, Wendy. Ainda não aprendeu?
Do fundo do trailer veio quase um sussurro:
- Não existe cura para pedofilia. "
                                     pág.60

Terminei de ler esse livro e me senti uma idiota rsrs, pois o livro te faz acreditar em uma coisa até o final e quando você acha que a história já esta toda esclarecida e você chega naquelas três ultimas paginas do livro, vem aquela bomba que só Harlan Coben sabe fazer para finalizar seus livros.
Adorei os diálogos que a Wendy tem com Pops (adorei ele) e com Charlie, traz um humor para a história e principalmente adorei a Wendy, ela é determina e muito corajosa. A única complicação do livro é que são muitos personagens , muitos nomes. E a historia muda de narrador para que possa ter uma ideia do que esteja acontecendo com os outro personagens.
Posso dizer que Harlan Coben mas uma vez superou as expectativas. Fazendo uma grande trama e com um otimo final.
" - Não quero machucar você.
Wendy congelou. Não via outra coisa senão aquela arma apontada em sua direção. Engoliu em seco e, buscando coragem, arriscou:
- Apontar uma arma para uma pessoa não é a melhor forma de dizer que não quer machucá-la."
                                       pág.244

sábado, 19 de novembro de 2011

Resenha: A Linha - Teri Hall


Mais um livro futurístico retratando o governo e suas objeções. Confesso que adoro o tema, por mais que exista vários livros do mesmo, é bom ver o ponto de vista de cada autor e como eles construiriam um futuro onde a injustiça seria maior ainda, onde não teríamos escolha... enfim, chega de tagarelar e vamos ao livro.

A linha é uma construção do governo para servir de barreira a guerra que estava prestes á acontecer com uma nação vizinha. Mas como o governo de piedoso não tem nada (coincidência, não?), constroi esta linha invisível, mas que tem como função não deixar ninguém ultrapassa-la, não informou as pessoas que moravam no lado X da linha que na hora estavam do lado Y, de que teriam de voltar se não permaneceriam lá para sempre. Então assim se fez, pessoas que estavam do outro lado permaneceram lá sem rever seus familiares, ficando sozinhos, e agora sendo descriminados pela população do outro lado que os chamam de os Outros.

Rachel mora com sua mãe num terreno muito perto da linha, onde trabalham para a dona do local, a Sr Moore.
Rachel sempre foi muito bem protegida por sua mãe, Vivian, que a mantinha sempre à vista, mas toda esta preocupação da mãe não foi o necessário para afastar a curiosidade de Rachel pela linha, principalmente pelo o que habitava do outro lado.

Em um belo dia quando Rachel tira “férias” momentâneas de seus afazeres, decide ir ao lago, que por sinal fica muito perto da linha, e então encontra um gravador contendo uma mensagem de socorro. Desde então Rachel não consegue tirara mensagem da cabeça, quem será que está correndo perigo, será que é verdade, como o outro lado conseguiu mandar esta mensagem, e porque precisariam de ajudas deste?

Sua mãe sempre dizia o quanto era importante lutar pelo que acredita, como a injustiça dever ser combatida, mas hoje, quando a injustiça estava bem diante de seus olhos ela fugiu. Rachel não conseguia entender de que valia falar sobre injustiça se ninguém tentava ajudar em uma situação de risco.  p. 115

Com isto a estória segue, com suspense, segredo que serão revelados e curiosidade à cada pagina.

Gostei muito da narrativa, muito bem feita, sem complicação e não me lembro de nenhum erro ortográfico. O tema muito envolvente, personagens muito bem construídos.
Só o que foi ruim é que quando a estória está se revelando e ficando mais envolvente, o livro acaba. Deu a entender que este livro serviu mais como introdução, pois pelo que sei serão 3 livros, o que deixa claro que tudo se resolve nos próximos volumes, e este nos serve para entrar em foco com a estória. Espero que a autora não deixe a temática virar enrolação e acabar dando um fim corriqueiro e sem lógica, pois a trama tem tudo para dar certo.
Enfim, com todos os detalhes prós e contra, eu recomendo a leitura!! 

Série A Linha:
1. A Linha ( The Line)
2. Away *(sem previsão)
3. The Island *

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Nacionalizando #6



Título: O Vendedor de Sonhos
Autor: Augusto Cury

Lançamento: 2008

Editora: Academia
Gênero: Romance
ISBN: 9788560096275
Paginas: 295
Compre: Saraiva  



Sinopse: Um homem desconhecido tenta salvar da morte um suicida. Ninguém sabe sua origem, seu nome sua história. Proclama aos quatro ventos que a sociedades modernas se converteram num hospício Global. Com uma eloqüência cativante, começa a chamar seguidores para vender sonhos. Ao mesmo tempo em que arrebata as pessoas e as liberta do cárcere da rotina, arruma muitos inimigos. Será ele um sábio ou um louco? Este é uma romance que nos fará rir chorar e pensar muito.




Perfil do Autor: Psiquiatra, cientista, escritor e fundador da Academia de Inteligência, um instituto que promove o treinamento de psicólogos, educadores e profissionais de recursos humanos. É autor da Inteligência Multifocal-1998 (Editora Cultrix), Treinando a Emoção para Ser Feliz-2001, A Pior Prisão do Mundo-2000 (renomeado para Superando o Cárcere da Emoção) e dos livros da coleção Análise da Inteligência de Cristo (O Mestre dos Mestres-1999, O Mestre da Sensibilidade-2000, O Mestre da Vida-2001 e O Mestre do Amor-2002), Você é Insubstituível-2002, Revolucione sua Qualidade de Vida-2002, Escola da Vida-Harry Potter no Mundo Real-2002, Pais Brilhantes e Professores Fascinantes-2003 e outros.